fbpx

O segredo para cumprir promessas de ano novo, segundo a ciência

De acordo com um estudo americano, só 8% das pessoas conseguem ter sucesso em suas resoluções. Mas há algumas maneiras de melhorar suas chances.
O segredo para cumprir promessas de ano novo

Compartilhe:

Ano Novo… vida nova? Bem, depende.

Promessas ligadas à saúde e bem-estar costumam ser as mais populares entre as pessoas, segundo alguns estudos. Fazer exercícios, perder peso e comer melhor são os objetivos mais apontados. Na fatia “outros” ficam metas como comprar menos, organizar as finanças, maneirar na bebida, ler mais, arrumar um novo emprego, investir em hobbies ou noivar.

Parece tudo muito simples, mas não é bem assim!

O problema é que tirar a vontade de mudança do papel costuma ser mais complicado do que parece. Uma pesquisa mostrou que 88% das pessoas costumam abandonar o novo hábito já em fevereiro do ano seguinte.

Outro estudo, feito na Universidade de Scranton, nos EUA, foi além, cravou que só 8% de fato conseguem levar em frente suas promessas. Isso faz com que certos desejos se repitam ano após ano, sem jamais deixar o rol de metas a serem cumpridas.

Isso acontece porque costumamos superestimar nossa capacidade de mudança. Assim, acabamos traçando metas irreais. De tão comum, a coisa ganhou nome: “síndrome da falsa esperança”, como descreve uma dupla de pesquisadores da Universidade de Toronto, no Canadá, neste artigo científico.

A boa notícia é que, além de apontar o dedo para a sua incapacidade de levantar o traseiro do sofá, a ciência também tem algumas dicas para aumentar suas chances de sucesso. Vamos a elas:

 

Uma coisa de cada vez

Sua lista de promessas tem mais de 10 itens? Vale a pena quebrar a cabeça para reduzi-la. Como cada meta demanda boa dose de tempo e energia para vingar, acumular muitas aspirações pode significar não fazer nada direito.

Uma boa pedida é simplificar as coisas, focando em uma meta só – que seja específica, e, principalmente, razoável. O que nos leva ao item 2.

 

Não pense tão grande – pelo menos a princípio

É melhor colocar na cabeça: “Vou correr 10 quilômetros” do que simplesmente “Vou começar a correr”, é claro. Só que, ao mesmo tempo, vale o questionamento: “Consigo mesmo correr 10 quilômetros sem morrer no processo?”. Começar com treinos mais curtos e, com o tempo, ir apertando o passo, tende a facilitar as coisas – e dar a impressão de que você está progredindo. 

 

Facilite a execução

No meu livro Hábitos de Sucesso – Um guia prático sobre como construir bons hábitos e mudar hábitos ruins, eu ressalto a importância de tornar novos hábitos mais fáceis de serem executados e, ao mesmo tempo, dificultar hábitos antigos. Quer começar a correr após o expediente? Deixe o tênis e a roupa de academia sempre na mochila. Deseja ser menos consumista? Evite gastar tanto tempo namorando aquela lojinha on-line ou passeando pelo shopping.

 

Conte aos outros

Contar a um amigo ou postar nas redes sociais sobre uma resolução de ano novo é como assumir um compromisso. Isso pode servir de motivação: ao ter uma recaída na dieta ou falhar em terminar a leitura programada para o mês, você pode pensar que estará decepcionando não só a si próprio – mas também, alguém que te apoia. Um tanto dramático, talvez. Mas funciona!

 

Estabeleça pequenas “punições”

Rory Vaden, especialista em autodisciplina e autor do livro Take the Stairs: 7 Steps to Achieving True Success, maximiza a dica anterior ao propor algo curioso.

Tenha na manga alguma punição para fazer sempre que vacilar no seu propósito. Pode ser dar um presente a alguém, passar por uma situação ridícula de propósito ou doar uma pequena quantia à caridade, por exemplo. Qualquer coisa que faça você pensar duas vezes antes de sair dos trilhos de novo.

 

Comemore o progresso

Estar atento às pequenas vitórias e se auto-recompensar após ter concluído uma etapa pode dar uma dose extra de motivação.

Conseguiu poupar mais dinheiro que o planejado para o mês? Pode ser uma boa fugir da rotina e sair para jantar em algum lugar diferente, por exemplo.

 

Permita-se tentar de novo

Vale lembrar, por fim, que tudo é uma questão de perspectiva. Não é como se, na virada de 2021 para 2022, algo mudasse e, num passe de mágica, você se tornasse a sua melhor versão. Mas a troca de ano no calendário, de alguma maneira, nos motiva a fazer as coisas de forma diferente. A parte boa é que, por mais clichê que isso pareça, cada novo ciclo pode ser uma oportunidade para a mudança – ainda que ela dure apenas pelas primeiras semanas. Fevereiro de 2022, afinal, é logo ali.

 

Compartilhe:

Katiane Vieira
Katiane Vieira

Escritora, palestrante e empreendedora social com foco em desenvolvimento sustentável. Seu objetivo é motivar as pessoas de todos os cantos do mundo a fazerem mais para que possam viver uma vida mais feliz, seja para obter mais benefícios de suas atividades diárias ou para viver uma vida cheia de emoções positivas e realizações únicas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Categorias
Podcast
Katiane Vieira
ACESSE!
Teste de Inteligência Emocional
Acompanhe no Facebook
Quer receber novidades? Coloque seus dados abaixo!