fbpx

7 tendências globais com foco na conexão humana

Projetar tendências nunca foi uma tarefa fácil, mas após um ano de incerteza generalizada, planejar com antecedência tornou-se ainda mais complexo. O que esperar das relações humanas para 2021? Conheça tendências com foco na conexão humana.
Tendências

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

O ano de 2020 foi sem dúvida um ano de grandes desafios para para todos nós. Tudo o que aconteceu neste ano daria para escrever um livro com vários volumes, não é mesmo?

A pandemia do coronavírus foi o recado mais claro possível de que nossa relação com o planeta está doente e precisa ser revista. Também foi um ano marcado por muita resiliência, luta e solidariedade. Onde o assunto  Relações Humanas passou a gerar inúmeras discussões, como resultado das importantes mudanças sociais.

Será que as constantes mudanças tecnológicas e a crescente dependência do digital podem prejudicar a conexão humana?

Relações Humanas decorrem da interação entre pessoas. Produzimos, e construímos para pessoas.

Por isso as empresas melhores sucedidas são aquelas que agem com transparência e intenção objetiva, pautadas na confiança e na experiência humana, enquanto reagem agilmente, em tempo real, para atender às necessidades dos consumidores.

Um estudo realizado pela Deloitte levantou “7 grandes tendências globais” para ajudar a construir conexões que impulsionem o crescimento dos negócios em um 2021 sem precedentes.

A pesquisa foi desenvolvida com o feedback coletado de especialistas em diversos mercados globais, incluindo Brasil, China e Estados Unidos.

São elas: Propósito, Experiência Humana, Fusão, Confiança, Participação, Talentos e Agilidade.

Estamos vivendo uma era de inovação tecnológica sem precedentes — que provocou a Quarta Revolução Industrial — segundo o estudo apresentado pela Deloitte. O foco, porém, não deve ser na tecnologia, mas sim em ajudar as marcas a agirem de maneira mais humana, já que as pessoas esperam que as marcas não as tratem mais apenas como transações.

Aqui está um resumo de cada uma das tendências que buscam preservar as conexões humanas:

 

  1. Propósito

Em um mundo repleto de opções, “porque a sua empresa existe?”, essa é a reflexão que o estudo propõe. Empresas que lideram com um propósito obtém lealdade, consistência e relevância contínua na vida dos consumidores. Além disso, apresentam maiores ganhos de participação de mercado e crescem em média três vezes mais rápido que seus concorrentes, alcançando ao mesmo tempo maior satisfação dos funcionários e dos clientes.

Segundo o estudo, 80% dos consumidores disseram que estariam dispostos a pagar mais se uma marca aumentasse seus preços para ser mais ambientalmente e socialmente responsável ou disposta a pagar salários mais altos a seus funcionários. Qual impacto que a sua empresa vai gerar para a comunidade nos próximos anos?

 

  1. Experiência humana

Ainda que facilmente conectados, estamos isolados e o essencial da conexão humana — contato visual, toque pessoal, empatia — permanece insubstituível pela tecnologia. A tendência, portanto, é aprimorar a empatia para projetar experiências humanas, entender intimamente o público, se conectar com ele e compartilhar os mesmos valores. De acordo com a pesquisa, organizações que conseguem fazer isso, obtém maior satisfação do cliente e têm duas vezes mais chances de crescer as suas receitas.

 

  1. Fusão

Em qual mercado sua marca atua? Estamos vendo os efeitos da fusão em várias indústrias nos últimos tempos…plataformas de mensagens como WeChat estão se tornando plataformas de pagamento móvel e compartilhamento de carona. Empresas automotivas estão se transformando em fornecedoras de compartilhamento de caronas e micromobilidade. A Fusão de ecossistemas está tornando as marcas relevantes fora de seus mercados de origem. 

A tendência é olhar para além dos limites do seu setor, expandir a perspectiva, descobrir ameaças disruptivas e formar parcerias com aqueles que antes eram vistos como concorrentes com objetivo de crescimento, colaboração e de atender às novas necessidades dos clientes.

 

  1. Confiança

A confiança nas empresas, ou a falta dela, continua a ser pauta à medida que dados e IA (Inteligência Artificial) são utilizados. O marketing continua a alavancar a IA para aprimorar as experiências dos clientes, mas espera-se que as empresas atuem como administradoras confiáveis ​​das informações do cliente. Para tanto, a tendência esperada é a transparência. 

Segundo pesquisa da Sprout Social, 86% dos consumidores acreditam que empresas transparentes são mais importantes hoje do que em qualquer outro momento da história, e isso se traduz nas intenções de compra.

 

  1. Participação

A participação do consumidor no processo de comunicação de uma marca nunca foi tão valorizada. Envolver os consumidores durante toda a jornada e ciclo de vida de um produto pode permitir que as empresas colham insights e aproveitem a experiência, influência, voz e sentimentos do cliente para impulsionar seu desenvolvimento e acelerar o crescimento. 

A tendência é buscar a lealdade e utilizar o poder do consumidor como defensor da marca, para que se tornem mídia da marca. O cliente passa a se tornar parte da dela, não apenas proporcionando insights mas também cocriando.

 

  1. Talentos

A valorização de talentos dentro das empresas está diretamente ligada a ampliação de suas receitas. Segundo o estudo, é importante que as empresas reconheçam que seu público interno tem indivíduos de diferentes origens e diversidades, que vem com diferentes perspectivas, experiências, objetivos e, portanto, é preciso criar uma cultura e espaço que apoie cada trabalhador individualmente para que ele também trabalhe alinhado e motivado com os propósitos da empresa.

 

  1. Agilidade

O ambiente social, econômico e cultural dinâmico atual exige uma tomada de decisão ágil — principalmente no marketing, onde compradores cada vez mais exigentes estão adotando, consumindo e descartando marcas com mais frequência. 

A tendência é aproveitar o poder dos dados das plataformas digitais em tempo real e obter insights para projetar experiências humanas mais personalizadas, centradas no cliente.

NUNCA VIMOS UM PERÍODO DE TANTAS MUDANÇAS no comportamento das pessoas como aconteceu em 2020 – pelo menos não na história recente. O ritmo de transformação do mundo causado pela pandemia do novo coronavírus é extremamente acelerado. Tendências previstas para acontecer dentro dos próximos dez anos se tornaram realidade em alguns meses.

E no que tange o comportamento humano não é diferente. Todas as mudanças vistas do início da pandemia até aqui levaram as pessoas a repensar os aspectos da vida, influenciando os sentimentos que, por sua vez, alteram o comportamento. À medida que os desafios e as adaptações nos obrigaram a desacelerar, as tendências de comportamento foram aceleradas – e ainda ganharam o impulso da conectividade.

A história já nos ensinou que depois de uma crise global vem uma nova era de pensamento. É a máxima oportunidade para as empresas pensarem e agirem de forma diferente.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Katiane Vieira
Katiane Vieira

Escritora, palestrante e atitude e empreendedora social com foco em desenvolvimento sustentável. Seu objetivo é motivar as pessoas de todos os cantos do mundo a fazerem mais para que possam viver uma vida mais feliz, seja para obter mais benefícios de suas atividades diárias ou para viver uma vida cheia de emoções positivas e realizações únicas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Categorias
Podcast
Katiane Vieira
ACESSE!
Teste de Inteligência Emocional
Acompanhe no Facebook
Quer receber novidades? Coloque seus dados abaixo!
Scroll Up